quarta-feira, julho 30, 2003

Apaixonado






Olhei para ela. Era linda!
Tinha charme, era sexy, brilhava ao longe!
Avancei e reparei que se me insinuava.
Hesitei!
Era capaz de me apaixonar por ela!
Olhei-a de alto a baixo. De frente, de perfil. 
Percebi que esperava que eu tomasse a iniciativa.
Aproximei-me.
Toquei-lhe suavemente. 
Primeiro com uma mão, depois com as duas.
Senti-lhe o cheiro, as formas redondas, suaves e macias.
Rapidamente e sem sequer pensar, o meu corpo tocou o dela.
Ela nem se mexeu! 
Obviamente que já o esperava!
Fiz o que era devido em tal situação, e ela começou a aquecer.
Ouvi com atenção os sons que emitia.
Parecia-me perfeita, saudável, sem defeitos.
E como me excitava!
Já não havia indicios de qualquer hesitação. 
Por isso tomei precauções.
Nunca devemos esquecer a segurança!
Ela estava agora entre as minhas coxas. 
Completamente disponível para mim!
O meu coração batia rápidamente. 
Aquele ronronar, aquele cheiro, estavam a enlouquecer-me!
Agarrei-a! Apertei-a com força! 
Ouvi o seu grito rouco. O seu arfar...
Senti que o chão se mexia! Apertei os joelhos.
Nesse momento já nada me podia fazer mudar de ideias.
Tinha que lhe mostrar tudo o que sabia.
Tinha que saber até onde ela me podia levar!
Tinha que ter a certeza que éramos compatíveis, 
e que ela era a minha companhia para o Verão.


Crónica da compra da uma Suzuki Bandit 400 em 1994