terça-feira, julho 29, 2003

Perigosa Paixão



Rodo o punho, aperto as mãos,

baixo a cabeça, entrego-me à emoção.

Um som rouco invade-me as entranhas,

e a vibração suscita-me coisas estranhas,

a velocidade aumenta, já não há tempo,

não há sequer qualquer outro pensamento...

Uma mecanização orgânica dos sentidos

toma conta dos meus instintos,

e sem cansar, sem sentir mais do que emoção,

vou ao encontro do nada, mas em alta rotação.

É uma curva, e logo outra...

Trava, acelera, desvia! agora inclina...

Olho para fim da recta,

olho para o fim da curva,

olho para o que pode bem ser...

o fim de uma vida curta.

Sem comentários: